Centro Cultural Três Poderes


Inclui o Espaço Lucio Costa, o Museu Histórico da Cidade e o Panteão da Pátria. O Espaço Lucio Costa, inaugurado em 1992, exibe a grande maquete do Plano Piloto e cópias dos croquis do urbanista. Uma oportunidade e tanto de conhecer o projeto modernista que fez de Brasília, em 1987, Patrimônio Cultural da Humanidade. Ao lado, a maquete táctil oferece informação aos deficientes visuais. Inaugurado em 1960, o Museu Histórico da Cidade tem inscritos nas paredes de mármore textos históricos relativos às ideias sobre a transferência da Capital, desde o século 18, transcritos também em Braille. Na fachada, destaque para a cabeça de Juscelino Kubitschek esculpida por José Pedroza em pedra-sabão. O Panteão da Pátria, inaugurado em 1986, homenageia os vultos históricos que lutaram pela liberdade e a democracia no país, como Tancredo Neves. Integrados à arquitetura, vê-se um painel de Athos Bulcão e um vitral de Marianne Peretti. No primeiro andar, destaque para o painel de João Câmara sobre a Inconfidência Mineira, além do Livro de Aço, com nomes de personalidades como Tiradentes e Zumbi dos Palmares.

Praça dos Três Poderes - Centro Cultural Três Poderes

Como chegar lá:

 Telefones: 61-3325-6244 (Panteão); 3325-7597 (Espaço Lucio Costa)

Visitação: terça a domingo e feriados, 9h às 18h.

Gratuito.

Acesso: linhas de ônibus que atendem a Praça.

Entorno: na Praça estão esculturas modernistas, como o Pombal, de Niemeyer, Os Guerreiros, de Bruno Giorgi e A Justiça, de Alfredo Ceschiatti, além do Centro de Atendimento ao Turista. O STF abriga a Seção de Memória Institucional. Atrás do Panteão, um caminho conduz ao Espaço Israel Pinheiro.

Mais informações:
www.cultura.df.gov.br/nossa-cultura/museus






Espaço Cultural do INSS



Além do mobiliário do gabinete de Eloy Chaves, patrono da instituição, o espaço exibe máquinas de escrever, calculadoras, caixa-arquivo que pertenceu ao extinto IPASE e equipamentos utilizados por médicos do trabalho nos Institutos de Aposentadoria, como um microscópio de 1940. Destaque para o Livro nº 1, de 1923, com registro de aposentadorias da São Paulo Railway Company e para uma tela de 1952 do pintor Tomás Santa Rosa.
Setor de Autarquias Sul – Edifício-Sede do INSS – quadra 2 – bloco O – Térreo - Asa Sul

Como chegar lá:

Telefone: 61-3313-4618

Visitação: segunda a sexta, 8h às 18h.

Gratuito

Acesso: linhas de ônibus que atendem o SAS.

Entorno: o Museu da Justiça Militar da União está próximo e vale a caminhada.




Instituto Histórico e Geográfico do DF



Projetado por Milton Ramos, abriga o Museu Memorial de Brasília, dedicado à história da construção da cidade. No circuito, os cenários assinados por Elifas Andreato, com esculturas e adereços, são uma homenagem ao presidente Juscelino Kubitschek e aos candangos. Destacam-se também um baú de madeira que serviu à Missão Cruls em 1892 e o jipe Maracangalha utilizado por Bernardo Sayão e JK em visita às obras da cidade. O Museu oferece palestras e visitas guiadas aos escolares, além de aprazível área verde.

Setor de Edifícios Públicos Sul / EQS 703/903, conjunto C

Como chegar lá:

Telefone: 61-3224-6544

Visitação: segunda a sexta, 9h às 12h; 14h às 17h

Gratuito

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: linhas de ônibus que atendem a W3 Sul; metrô 102 Sul.

Mais informações: www.ihgdf.com.br




Memorial JK



Inaugurado em 1981, essa obra de Oscar Niemeyer é um marco visual da cidade, com a estátua de Juscelino Kubitschek assinada por Honório Peçanha. No térreo, abriga, entre outros, a réplica da biblioteca particular do ex-presidente, a Sala de Metas e o gabinete de D. Sarah. No 1º andar, a câmara mortuária, com relevo de Athos Bulcão e vitral de Marianne Peretti, antecede a mostra da carreira política de JK até os últimos anos por meio de fotografias e objetos pessoais. O Memorial dispõe ainda de auditório, totens multimídia para pesquisas, loja de souvenires e um café, com o tradicional pão de queijo.

Eixo Monumental - lado Oeste – Praça do Cruzeiro

Como chegar lá:

Telefone: 61-3225-9451

Visitação: terça a domingo, 9h às 18h.

Entrada paga. Crianças até 7 anos são isentas; idosos e estudantes pagam meia.

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: linhas de ônibus que atendem o Eixo Monumental e o SIG.

Entorno: o Memorial dos Povos Indígenas fica bem em frente. Próximos, encontram-se o Memorial do TJDFT e o Memorial do TCDF.

Mais informações: www.memorialjk.com.br




Memorial do Ministério Público Federal



Inaugurado em 2005, com vista para o Lago Paranoá, apresenta ao visitante a história e atuação do MPF por meio de mobiliário, fotografias e peças procedentes do Rio de Janeiro, além de vestes talares. Destaque para o vídeo com depoimentos de antigos membros e servidores. Dois terminais multimídia revelam a atuação do órgão desde o Brasil Colônia, as transformações trazidas pela Constituição de 1988 - quando foi transformado no Poder Cidadão - e seu papel como guardião da lei e defensor da sociedade.

Setor de Autarquias Federais Sul – quadra 4 – conjunto C – bloco B – cobertura

Como chegar lá:

Telefone: 61-3105-6496

Visitação: segunda a sexta, 9h às 19h.

Gratuito.

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: ônibus circular que atende o SAFS, saindo da Rodoviária do Plano Piloto.

Entorno: o Museu do TCU e o Espaço Marcantonio Vilaça ficam próximos: é só atravessar o estacionamento.

Mais informações: www.pgr.mpf.gov.br/memorial




Memorial Sebrae


Inaugurado em 2012, teve sua exposição física desativada no final de 2016. A visita virtual mostra a trajetória do Sebrae de 1960 a 2016, a história das unidades de cada estado, além de depoimentos de dirigentes, colaboradores, clientes e credenciados desta empresa que há mais de 40 anos apoia os pequenos negócios no Brasil.

Mais informações: http://memorial.sebrae.com.br







Memorial do Tribunal de Contas do DF



Inaugurado em 2009 e localizado no saguão que antecede a Corte, divulga a história e as atribuições do Tribunal. No circuito, painéis narram de forma didática e autoexplicativa as origens das instituições de controle de gastos governamentais no mundo, desde a Antiguidade até os dias atuais. As vitrines exibem a primeira Lei Orgânica e o primeiro processo do órgão, o livro de termo de posse dos cinco primeiros ministros, além de máquinas de escrever e calcular dos anos 1970 e algumas comendas.
Praça do Buriti - Edifício-sede do TCDF

Como chegar lá:

Telefone: 61-3314-2580

Visitação: de segunda a sexta, 13h às 18h (mediante agendamento).

Gratuito.

Acesso: linhas de ônibus que atendem o Eixo Monumental.

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Entorno: no lado oposto da pista, encontra-se o Memorial do TJDFT e, próximos, o Memorial dos Povos Indígenas e o Memorial JK.




Memorial do TJDFT – Espaço Desembargadora Lila Pimenta Duarte



Instalado em 2010, narra a história da Justiça, com ênfase na Corte local. No circuito, encontram-se 18 painéis autoexplicativos e vitrines com peças e processos históricos, como o primeiro habeas-corpus autuado na instituição, em 1960. A trajetória do órgão é pontuada pela réplica de uma sala de audiência e a reconstituição de um gabinete da presidência, com mobiliário dos anos 1960, além de togas, louça, prataria e os bustos dos juristas Rui Barbosa e Clóvis Bevilacqua.
Praça Municipal – Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios - lote 1 – bloco A – 10º andar – ala A

Como chegar lá:

Telefone: 61-3103-5893

Visitação: segunda a sexta, 12h às 19h.

Gratuito.

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: linhas de ônibus que atendem o Eixo Monumental.

Entorno: no lado oposto do Eixo Monumental, encontra-se o Memorial do TCDF. Próximos, estão o Memorial JK e o Memorial dos Povos Indígenas.

Mais informações:
www.tjdft.jus.br/institucional/centro-de-memoria




Memorial do Tribunal Superior do Trabalho


A trajetória do TST é apresentada por meio de mobiliário da antiga sede do Rio de Janeiro, togas, comendas, modelos de carteiras de trabalho, fotografias, jornais de época e bustos como o de Getúlio Vargas, entre outros. Uma didática linha do tempo, de 1923 a 2014, fornece informações sobre a história da instituição em um contexto sociocultural. A equipe de pesquisa dedica-se à montagem de mostras temporárias vinculadas à temática do trabalho, além de mostras virtuais e itinerantes.

Setor de Autarquias Federais Sul - Edifício-sede do TST – bloco B – mezanino

Como chegar lá:

Telefone: 61-3043-4188

Visitação: segunda a sexta, 8h às 18h.

Gratuito.

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: ônibus circular que atende o SAFS saindo da Rodoviária do Plano Piloto.

Entorno: o Museu do Superior Tribunal de Justiça e o Museu do Voto estão bem próximos e valem a visita.

Mais informações: www.tst.jus.br/memorial




Museu Banco do Brasil


Instalado no CCBB e inaugurado em 2016, o museu narra a história da instituição exibindo cédulas, moedas, mobiliário, pinturas, gravuras e esculturas de artistas como Portinari, Di Cavalcanti, Djanira, Tomie Ohtake e Maria Bonomi. O CCBB, projetado por Oscar Niemeyer, abriga também galerias de arte, teatro, pavilhão de vidro, livraria e bistrô. Nos jardins, O Casulo, de Darlan Rosa e Améfrica, de Denise Milan garantem o deleite de adultos e crianças. Dá vontade de passar o dia lá!
Setor de Clubes Esportivos Sul – trecho 2 – lote 22 

Como chegar lá:

Telefone: 61-3108-7600

Visitação: terça a domingo, 9h às 21h (CCBB); 13h às 19h (museu); 13h às 21h (bilheteria).

Gratuito para exposições e palestras; preços populares para teatro e cinema.

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: Linha de ônibus 103, que sai da Rodoviária.

Mais informações:
http://culturabancodobrasil.com.br/portal/distrito-federal




Museu da Câmara dos Deputados


Criado em 1998, é um núcleo do Centro Cultural Câmara dos Deputados e não dispõe de espaço físico. Seu acervo inclui o mobiliário histórico do Palácio Tiradentes (RJ) e obras de arte, como pinturas e esculturas assinadas, entre outros, por Volpi, Di Cavalcanti e Alfredo Ceschiatti, além de presentes protocolares, livros raros e documentos. A exibição é feita por meio de mostras temporárias de caráter histórico, mostras culturais e gabinetes de arte.
Praça dos Três Poderes - Congresso Nacional - Câmara dos Deputados 

Como chegar lá:

Telefone: 61-3216-1768

Visitação: guiada, diariamente, 9h às 17h.

Gratuito.

Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: linhas de ônibus que atendem a Praça dos Três Poderes.

Entorno: no recinto do Congresso, é possível visitar também o Museu Histórico do Senado.

Mais informações:
www2.camara.leg.br/a-camara/conheca/centro-cultural/museu




Museu Casa de Memória dos
Ex-Combatentes


A atuação dos pracinhas brasileiros na Segunda Guerra Mundial é narrada em painéis fotográficos, notícias de jornais, um mapa da Itália e estatísticas com o número de prisioneiros, mortos e feridos. Nas vitrines, é emocionante ver os álbuns fotográficos, as placas, medalhas, carteiras de identidade, luvas, enfim, todo o material doado pelas famílias. O circuito apresenta, ainda, móveis de época, uniformes e destaca o relevante papel das enfermeiras no conflito.
Setor de Grandes Áreas Norte 913 – Associação Nacional dos Ex-Combatentes – módulo F – Asa Norte

Como chegar lá:

Telefone: 61-3274-1727

Visitação: segunda a sexta, 8h às 17h (mediante agendamento).

Gratuito Acessibilidade para pessoas com deficiência locomotora.

Acesso: linhas de ônibus que atendem a W3 Norte.

Mais informações:
www.assocexcobdf.xpg.uol.com.br/